Contos eróticos | Surpresa deliciosa | Diversos

PUBLICIDADE sexo sexo amadoras porno porno amadoras

Diversos / Surpresa deliciosa

Este é meu primeiro conto, espero que gostem, irei usar nomes ficticios. Sou Jorge, sou branco estilo alemão, tenho 67 kg, 1.69 de altura. Uma sexta-feira, após um dia de muito trabalho e uma semana muito extressante, como de costume nos do trabalho fomos para um barzinho tomar uma cerveja, já que final de semana não trabalhamos, estavamos no bar tomando uma cervejas, papo vai, papo vem, percebi que em uma mesa ao lado havia 2 mulheres que não paravam de olhar e cochicar uma com a outra, e comecei a prestar atenção nas duas, ja que eram muito bonitas, uma loirinha dos olhos verdes, corpinho de modelo (magrinha) mais gostosa, e a que me chamou mais atenção era ruiva dos olhos verdes, 1.65 altura, uns 60 kilos, cabelo curtinho nos ombros e lisinho, estava com um vestido preto curtinho, tinha pernas maravilhosas, e um belo par de seios que com certeza era silicone, pois seios lindos igual aqueles nunca tinha visto, eram redondinhos e empinados, não muito grande, era perfeito para o corpo dela. Cerveja vai cerveja vem, e as duas não paravam de olhar e comentar uma com a outra, davam risadinhas ao perceber que eu estava olhando para elas, e elas estavam gostando. Depois de muitas cervejas fui ao banheiro do bar urinar, quando estava saindo do banheiro dei de cara com a loirinha no corredor indo para o banheiro feminino, quando a mesma me disse em um tom baixinho, minha amiga quer te conhecer, naquele momento minhas pernas tremeram pois a mulher era muito linda e perfeita, me apresentei a amiga loirinha, prazer meu nome é Sergio e ela disse meu nome é Stephanie, disse para Stephanie que estavamos pagando a conta pois meus companheiros de trabalho são todos casados e tem horário para chegar em casa, só ia me despedir dos meus amigos e já iria para a mesa das 2 conhecer sua amiga e conversar-mos um pouco, ela disse estamos esperando, com um sorrisinho de safada estampada no rosto. Pagamos a conta, nos despedimos e fui até a mesa das duas que estavam me esperando com um enorme sorriso no rosto. Ao chegar na mesa Stephanie nos apresentou. Sergio está é minha amiga que te falei, o nome dela é Lorrane, nos apresentamos, sentei junto com elas e começamos uma conversa muito agradavél, pedi uma cerveja, mais Lorrane disse que não tomava cerveja, então ela pediu uma tequila, então eu disse, nossa que apetite, uma tequila se eu tomar não levanto desta mesa, então na mesma hora ela disse, pode tomar não se preocupe se você chapar pode ter certeza que te levo pra minha casa, e deu uma risadinha e por baixo da mesa esfregou sua perna na minha, naquele momento meu pau que já estava duro, quase explodiu de tanto tesão, só de olhar para aquele rostinho muito lindo e corpo perfeito, pensava a todo momento, isso não tá acontecendo comigo, ganhei na mega sena, pode ter certeza que vou traçar as duas. O telefone da Stephanie tocou, era seu namorado, dizendo que estava chegando e que era para ela ir para o local que ele sempre buscava ela, naquele momento falei: Que pena, agora que estava ficando legal a conversa elas iriam embora, então Lorrane diz em um tom muito excitante, ela vai embora eu não, ou você quer que eu vá? Claro que não disse no mesmo momento. Nos despedimos de Stephanie e continuamos no barzinho, então Lorrane disse: Então está afim de tomar uma tequila? Então eu disse: Não acho uma boa idéia, não sou acostumado a tomar bebidas fortes, e até chegar a minha casa era muito longe e que não poderia tomar muito senão não conceguiria chegar em casa. Lorrane disse vamos tomar uma Tequila mais não aqui e sim na minha casa, moro aqui pertinho, e tenho certeza que será uma experiência que você nunca irá se arrepender. Disse na hora: Então vamos, estou com uma vontade te tomar essa tequila olhando para seu corpo já com cara de tarado. Fomos.

Chegando a seu apartamento em uma bairro nobre de perdizes (SP) na entrada do prédio Lorrane me disse: Tenho uma surpresinha pra você. fiquei curioso e perguntei que surpresa era, então ela disse: Lá você ira descobrir e tenho certeza que vai gostar. Estava com tanto tesão que nem me importei que surpresa seria apenas queria fuder aquela delicia de mulher. Entramos em seu apartamento ja nos beijando, com muita intensidade, ela me jogou no sofá e disse pra esperar um pouquinho, pouco tempo depois ela volta com uma garrafa de tequila, tomamos umas 3 doses cada e continuavamos a nos beijar, meti a mão naqueles seios maravilhosos e comecei a chupa-los mas com tanta vontade que até fazia barulho, ela então se levantou do sofá, eu já sem camisa, ajoelhou-se entre minhas pernas, e tirou minha calça, nossa que delicia, e grande. Meu pau mede 21 cm por 12 cm, disse então é todo meu, e começou a chupar, chupava com tanta vontade, chupava minhas bolas, lambia a cabeça, dava mordidinhas e voltava a chupar cada vez mais forte, eu já não aguentando mais falei: Calma senão vou gozar na sua boca, ela apenas olhor para mim ainda com o pau na boca e começou a chupar mais forte e punhetar ao mesmo tempo, não aguentei e soltei um jato de porra dentro de sua boca, ela não parava de chupar, engoliu tudo, e com uma cara de puta disse, isso é só o começo, lembra da surpresinha que te falei, voce não vai querer descobrir?

Começamos novamente a nos beijar e ela não parava de punhetar, comece chupa-la inteira, quando puxei sua calcinha ali estava a surpresa, era um travesti, naquele momento parei e disse: Que porra é essa? Então ela disse, esta é minha surpresa. Mais o meu tesão era tanto que nem ai, já que estavá ali, e já havia gozado muito apenas com uma chupeta, vamos continuar. Ela me perguntou se eu ja havia feito sexo com uma pessoa do mesmo sexo, disse que não, mais que tinha curiosidade. ela começou novamente a fazer uma deliciosa chupeta, em segundos meu pau estava duro como uma pedra, então ela disse toda putinha, então vem comer o meu cuzinho, pois você nunca comeu um cú tão gostoso. Coloquei ela de quatro, ela pediu pra ir devegar pois meu pau era grosso e poderia machucá-la, apontei bem na portinha do cú e comecei a forçar um pouco pra entrar, pois realmente era apertadinho, Lorrane começou a gemer, uma mistura de dor e prazer, pedia pra ir devagar, pois estava doendo muito, depois que foi acostumando com o pau no cú comecei aumentar o ritmo, comecei a bombar muito forte, Lorrane grita e gemia, e ao mesmo tempo pedia para não para de forma alguma, aquele cú era maravilhoso, apertadinho e eu estava arrombando ele, Lorrane veio por cima de mim e disse: Agora você vai ver do que sou capaz, e começou a cavalgar e robolar bem devagar, e foi almentando o ritmo, pula feito uma louca, gritava, e ao mesmo tempo batia uma punheta, ela estava dilirando, e eu tambem, que delicia de cú, estava tão envolvido com aquela experiência que pra mim era nova, que enquanto Lorrane cavalgava loucamente em meu pau, começei a masturba-lá, tinha o pau não muito grande e era fino, mais estava duro feito pedra e latejava muito, conforme eu batia pra ela, ela me retribuia cavalgando cada vez mais forte e violantamente, dizendo a todo momento: fode com vontade meu cú, eu já louco de tesão, e cheio de fantasias passando em minha cabeça, e continuava a punhetalá, estavamos loucos, haviamos bebido muito mais tinha consciência do que eu estava fazendo, e estava gostando muito. Neste momento Lorrane disse que estava com as pernas cansadas de tando cavalgar, e levantou, no momento que ela levantou e ficou de frente pra mim não exitei, puxei ela pela cintura, eu ainda sentado e ela de pé e comecei a chupar aquele pau, que estava bem duro, era minha primeira vez e parecia que já era treinado, comecei a chupar rapido, ela então disse: para senão eu vou gozar, e não quero gozar agora. Ajoelhou-se novamente voltando a fazer uma chupeta incrivel, chupava minhas bolas, e passava a lingo proximo ao meu cú, cada vez que aproximava do meu cu, me arrepiava todo e ao mesmo tempo gostava daquele sensação nova, até que em umas destas chupadas enfiou sua lingua dentro do meu cú, bem forte, que parecia até um caralho, aquilo foi maravilhoso, por pouco não gozei. Naquele momento disse a Lorrane, agora quem quer ser fodido sou eu. Onde eu estava com a cabeça, nunca tinha feito isso, mais naquele momento era só o que eu queria, ser desvirginado por um traveco. Lorrane pediu um instante, foi até o quarto, voltou com um franco de lubrificante, pois disse que sem poderia me machucar, por ser minha primeira vez. Ajoelhei no sofa de pernas bem abertas de quatro, pedinto a todo momento que fosse devagar, Lorrane disse pra ficar tranquilo, pois seria carinhosa comigo, lubrificou bastante meu cú e seu pau, e começou a me penetrar bem devagarzinho, no começo doeu bastante até entrar a cabeça, ela ia bem devagar e gemia bastante no começo mais não de tesão e sim de dor, apesar de ser fino era minha primeira vez, depois de algumas penetraçoes, meu cú já estava adaptado aquele pau, passou de dor pra tesao, Lorrane ia devagar, então pedi pra ir um pouco mais rápido, então ela começou a meter seu pau em meu cú muito forte e até o fundo, muito rápido, fodia muito forte meu cú, mais estava tão boa a situação que nem me importava com dor, foi quando Lorrane disse: Agora fode meu cù bem forte. Coloquei ela na posição 69 pra ver a cara de puta dela e punhetar aquele pau maravilhoso, comecei a meter em seu cuzinho bem devagar, a cada estocada Lorrane gemia de muito prazer, e eu cintinuava a punheta-lá, foi quando ela disse pra foder mais rapido e forte e que era pra encher seu cú com minha porra, comecei foder muito rapido e forte, Lorrane gritava e dizia ao mesmo tempo que não era pra parar, depois de alguns minutos fodendo aquele cúzinho que já estava arrombado não aguentei e enchi seu cú com minha porra, Lorrane foi as nuvens, meu pau ainda estava dentro daquele cuzinho que estava piscando de tesão e cheio de porra, quando tirei meu pau toda aquela porra que estava dentro do seu cú começou a escorrer, nossa era muita porra, o tesão era tanto que disse pra Lorrane: Agora é minha vez, faça igual comigo. Ela deu um sorriso e me colocou na mesma posição 69 e mandou ver, estava doendo, mais a sensação era incrivel que falava pra não para e ir mais forte. Pouco tempo depois Lorrane disse: Vou gozar, na hora falei: Então enche meu cú de porra, ela meti seu pau em meu cú cada vez mais forte, até que não aguentou e encheu o meu cú de porra, que sensação sentia seu pau enchendo meu cú a porra preenchendo o resto de espaço que tinha e seu pau latejava muito, quando tirou seu pau do meu cú, toda aquela porra escorreu, que delicia, levantei e fui direto ao seu pau e comecei a chupar até a ultima gota, por incrivel que pareça o pau dela continuava duro, e eu cheio de tesão continuava a chupar, chupei por alguns minutos até ouvi-lá dizer: Vou gozar novamente. Naquele momento abracei sua cintura engoli todo aquele pau e continuei a chupar mais forte, foi quando ouvi Lorrane dando um urro de tesão e encher minha boca com sua porra, confesso que engoli um pouquinho, mais o resto deixeir escorrer e lambuzar toda a minha cara. ´Fomos tomar banho juntos, novamebte transamos no banheiro. Aquela noite fui a melhor descoberta da minha vida. Eu e Lorrane estamos até hoje juntos, não namorando mais sim um comendo o outro.

Gostou? Vote no Conto:

40071 visitas

 

Contos Eróticos Relacionados

Caindo na própria provocação

 
 
PUBLICIDADEsexo bundas gostosas