Contos eróticos | Sogra e Mulher minhas Putas | Incesto

PUBLICIDADE porno filmes porno sexo sexo flagras flagras

Incesto / Sogra e Mulher minhas Putas

Minha vida tinha mudado para sempre quando a minha sogra se fez a minha puta dentro da minha casa. Desde há um ano e meio que a minha vida com Bia estava normal, as discussões terminaram, e ate mesmo o sexo melhorou, eu nunca mais cobrei atenção dela, deixava sempre ela na inciativa, só quando ela sentia necessidade de fuder é que me procurava e eu deixava ela satisfeita. Mas sempre que eu queria me satisfazer recorria á minha putinha que tinha lá em casa. Muitas vezes fodia a Bia e deixava-a adormecer e ia para a cama da mae dela fode-la no cu. Sempre que fodia a minha mulher guardava sempre um pouco de tesão, para ir ao cu da mae dela. Era adoravel, as fodas com a minha mulher era normais, ela xupava um pouco o meu caralho, eu xupava a xana dela, ate ficar no ponto, depois montava-a por uns 5 minutos, nem me preocupava de se vinha ou não, eu vinha-me dentro dela, sempre adorou receber a minha esporra dentro dela. Mas não fazia mais nada, guardava-me para a puta da minha sogra, que estava na suite dela, a minha espera para receber o meu caralho na boca e no cu. Era assim fodia a minha mulher na cona, e comia de seguida o cu da sogra. Vida boa a minha. Bia adormecia e como sempre teve sono pesado, não havia problema. Eu sai da nossa cama e nú atravessei a casa e fui á suite da Marlene. Ela estava assistindo tv na sua cama, camisinha de noite branca, cabelo apanhado, mal me viu entrar, sorriu para mim e levantou.se.

- Estava a tua espera meu macho, escutei voces a transar, estava já com ciumes, a minha buceta está toda humida, ta dificil de aguentar ver voces fodendo e tive que resistir para não interromper a vossa foda e reclamar voce para mim tambem naquela altura.

- Marlene, voce é a minha puta, e tem que estar sempre pronta para mim, agora vem mamar no meu caralho que tem o sabor da cona da tua filha, vem ele ainda esta mole, mas depressa fica duro.

Ela ficou sentada na cama e meteu o meu caralho ainda murcho na boca e começou a passar lingua por ele bem gostoso, lambeu as minhas bolas e massajava com a mao o caralho já duro e humido novamente. Esta situação de comer a minha mulher e puder disfrutar da minha sogra sempre me tinha deixado um pouco egoista. Mal o meu caralho ficou pronto, virei ela de cu para mim e debrucei-a na cama levantei a camisa de noite e montei-a no cu sem mais demoras, o cu dela não tinha segredos para mim, gostava de ser enrravada assim á bruta, sem grandes preliminares, gozava muito eu sentia ela a gozar muito, ficava assim a bombar no cu dela por muito tempo, adorava ver aquele cu empinado e a ver a minha vara a entrar e a sair nele. Quando estava quase para me vir, tirava fora do cu dela, ela vira-se de frente para o meu caralho, abria a boca e bebia o meu leitinho todo. Tinha muito prazer em lhe esporrar a boca e a cara toda. Depois carinhosamente beijava, depedia-me dela e ia-me enfiar na minha cama agarradinho a minha mulher, quem nunca deu por nada.

Só era assim egoista quando a bia dava para mim, mas mesmo ela dando a cona para mim, eu tinha que ir comer o cu da mae dela. Nas semanas que a bia não dava para mim, eu não ligava pois podia foder a mae dela sempre que quizesse, e nessas vezes eu lambia a marlene, eu fodia a sua boceta e terminava sempre no seu cu. Para ela essas vezes eram mais intensas que as outras quando eu fodia a bia. Mas eu era o macho de duas femeas e não importava. Isto já durava á um ano e meio. Era assim sempre, já não passava sem isso, mas algo ia mudar. Num fim de semana, ficamos todos em casa, chovia muito e Bia, finalmente tirou um tempinho para dedicar á familia, o ambiente tava bom, as duas foram fazer o jantar e eu estava preparando a mesa de jantar com todos os requites, coloquei uma musiquinha ambiente, e tava nos meus pensamentos, que bom que era puder foder as duas naquela noite, poder mostar a filha como a mae dela da para mim, mas não era demais, concerteza isso nunca ia acontecer. Embora eu já notasse que marlene não andava satisfeita, cada vez mais tinha ciumes de bia. A minha vida sexual com bia tinha melhorado muito, e marlene sabia disso e sabia que sempre que bia me dava, eu procurava ela mas somente para me satisfazer, para cobrar o meu direito sobre a minha puta privada.

Fomos jantar, conversa mole, vinho bom 2 garrafas e marlene bebeu mais que o normal, estava solta e exuberante, tinha um vestido de malha daqueles que colam no corpo, e apesar de ser gordinha, tinha as curvas todas lá, deixava adivinhar a lingerie, um soutien normal para lhe segurar aquelas mamas enormes e uma tanguinha rendada que se percebia debaixo do vestido preto de malha com gola alta. Bia bebia pouco, nunca foi de beber muito, tomou só um copo de vinho, tambem estava linda, tinha umas calças azuis de fazenda grossa e um camisolão tambem de gola alta. Estavam as duas num sofa em frente a mim. Tomamos um café e bebemos um conhaque que tinha para estas ocasiões, marlene tomou dois, e ai a conversa ficou interessante.

- Bia ? diz ela ? pelo que tenho observado a vossa vida de casados melhorou um pouco, já não discutem, já fazem carinho um ao outro, muito bem fico satisfeita. Não percebi onde queria levar a conversa a puta da minha sogra, mas notava que ela estava meio com os copos.

- Sim mamae ? respondeu bia ? Graças a deus o sergio entendeu que eu tinha que dar espaço ao meu trabalho e deixou de pegar no meu pé. ? Ahhhhh sim ? disse a minha sogra ? só que voce não sabe é porque é que isso tudo correu bem ? Ai eu entrei em desespero, e tentei acabar com a conversa ? E que tal assistirmos a um filme ? disse eu, mas a bia agora queria saber ? Mamae que está falando, diga o que quer dizer, efectivamente de um momento para o outro o sergio mudou, sim, ate fiquei intrigrada mas correu tudo bem. ? Ele mudou porque eu dei para ele aquilo que voce não foi capaz de dar ? Foi uma bomba, agora é que o circo ia pegar fogo, pensei eu, mas como bia tambem tinha notado que a mae tinha bebido, muito calmamente perguntou ? e que é que voce deu para o meu marido que eu não tenha dado, mamae ? Dei o meu cu para ele, e a minha cona, para ele gozar e não deixar voce.

Minha nossa, Bia ficou vermelha, verde, não conseguia falar, eu estava de frente a ela e olhando para mim, percebeu que era verdade aquilo que a puta da minha sogra estava a falar. Marlene muito calmamente e como se não tivesse bebido nada, continuou com o seu plano. ? Bia o que lhe quero dizer, escute sua mae, eu me tornei puta do seu marido, para salvar seu casamento, eu percebi o que ele queria, voce não, voce continuou a querer o seu trabalho, e enquanto isso acontecia seu maridão gostoso, vinha me foder quase todos os dias. Minha mulher não estava em si, percebia-se isso demorou cinco minutos a reagir, foram os mais dificeis de minha vida. ? Não acredito, por isso seu canalha voce mudou em relação a mim, pudera andava a montar a minha mae, a minha mae ? disse finalmente, eu nem disse palavra. ? A culpa não é dele bia ? disse a minha sogra ? a culpa é sua e depois minha, pense bem filha, ele ia embora, assim ele esta aqui, porque eu é que dei para ele. ? Eu sempre soube que voce era muito puta mamae, por isso papai deixou voce, isso não se faz mamae, foder com o meu marido, cornear a propria filha ? e começou a chorar compulsivamente, eu não conseguia reagir, mas no fundo sabia que a minha puta estava a jogar uma cartada de mestre e tinha razao, tava a contar tudo á filha e estava a meter a culpa nela, bia inteligente e ponderada que era ia facilmente chegar a essa conclusão. Aquela cena estava a dar-me um certo gozo, por isso mantive-me no meu canto, e só falei quando bia me perguntou ? Sergio isto é verdade ? Sim bia é, mas digo a voce que a amo muito e se não fosse a sua mae, nos já não estavamos casados ? disse eu ? voce me ama sergio, e anda a foder com minha mae, como é possivel isso? E voce mamae, dando pro sergio, não tem vergonha velha puta ? disse chorando Bia ? Cala-te minha filha como já lhe disse, se voce ama seu marido, eu a salvei, resgatei o seu marido, com a minha cona e o meu cu, voce devia me agradecer ? disse a minha puta, e eu fiquei orgulhoso dela, apeteceu-me monta-la ali mesmo. ? Agradecer mamae ? agora rindo bia ? Agradecer como? ? Aceitando isto como uma coisa boa e não como uma coisa má.- Agora sim o quadro estava feito e Bia estava já baralhada, já olhava para a situação com outros olhos.

- Voce gostou de foder a minha mae sergio? Ela lhe deu aquilo que eu não dava é, a velha tem uma boa cona, sabe bem foder a minha mae meu filho da puta? E voce minha mae putona, gostou de mamar no caralho do meu marido, ele enfiou bem em voce putona? Isto então é normal?

Nisto eu intrevi e decidi agir ou pegava na situação agora ou perdia o controlo dela, levantei-me e ajoelhei aos pes de bia abri suas pernas e corri o fecho das suas calças, desapertei o cinto e abri as calças tirando-as, foi tao rapido que bia nem reagiu, a minha sogra sorria olhando para mim, eramos uma dupla perfeita, a coisa ia correr bem. Bia permaneceu silenciosa, precisava de ser abanada, ali já não eramos marido, mulher e sogra, era eu a minha puta privada e outra mulher que se ia tornar minha puta tambem, e melhor ia-se tornar tambem puta da mae. Meti as minhas maos debaixo do camisolão e acaricei os seus seios como nunca o tinha feito ? Sergio que voce está fazendo, depois disso tudo, pare ? disse bia ? Não diga nada bia, esta tudo bem ? baixei suas calças e e tirei a sua cueca e mergulhei de lingua naquela buceta que estava bem humida, lambi tudo, trinquei o seu grelinho, bia se deixou ir, o sentimento de revolta deu em tesão ? Ai meu macho, meu cachorro safado, come minha cona, come, eu estou precisando ? Nisto a minha puta velha se levantou para sair, estava a jogar a cartada final ? mamae onde vai, fica por favor, quero ver voce fodendo com ele ? eu continuava a mamar na cona da minha mulher, mas estava sorrindo baixinho. ? Filhinha voce me perdoa, sabe que so fiz o que tinha a fazer ? Já está perdoada mamae, o que fez foi o melhor que podia acontecer, agora temos que tratar as duas do sergio, não sei é se ele vai aguentar com nós as duas. ? Aguenta filha, quer ver? Nisto Marlene subiu o vestido e cheia de tesão disse ? Mama na minha cona seu safado, ela ta aqui para voce mamar ? Eu sai de boca da cona da minha mulher, e mergulhei no bocetao gordinho da minha sogra enquando apertava as mamas da Bia. Depois peguei na mao da minha sogra e levei a boceta da bia que lhe enfiou dois dedos la dentro, levantei-me e peguei na mao de bia e levei na cona da puta velha, e fui-me sentar no sofa em frente, observando as duas a mastrubarem-se uma á outra. A minha mulher de camisolão e sem calças com as pernas abertas e a mae com dois dedos na xana humida dela, a minha sogra com o vestido pela cintura e com a tanguinha de lado e com dois dedos da filha enfiados na cona. As duas de olhos fechados a gemer baixinho, que visão, tirei o meu caralho para fora, e macho dei ordem ás putas, - Sogra vai mamar na cona da tua filha, mas mama bem, faz ela vir ? A minha puta favorita, levantou-se com um sorriso na cara e abrindo bem as pernas da filha com as duas maos, começou a lamber a cona dela, como se fosse uma gata a beber leite do pires. Ficou a bunda bem empinadinha para mim, eu já sem calças e de pau bem duro, cheguei bem ao pé do seu cu e olhando sempre para a bia, acariciando seu rosto, levantei o vestido da velha e tirando a tanga para o lado, enfiei o meu caralho bem duro naquele cu que já conhecia bem, a puta deu um gritinho de prazer e comecou a rebolar o cu, enquanto cada vez mais gulosamente xupava na cona da filha. ? Aiii que loucura, que lingua maravilhosa voce tem mamae, vou gozarrrrr??.. vou vir na sua boca mamaeeeee?.. não paraaaaaaa?. Vouuuu gozarrrrr ? delirava a bia louca de tanto prazer ? Puta velha toma, toma nesse cu, toma bem o meu caralho nesse cu, vê amor o seu maridão a foder o cuzão da mamae, é muito bom o cuzão da mamae, deixa tar que depois vou foder o seu tá minha putinha, agora papai ta a comer o cuzinho da mamae depois vai comer o seu, toma minha puta, queres mais ? Marlene so gemia e emitia uns sons indecifraveis ? Aiiiiiiii que bom xupa mamei, vou vir outraaaaa vez?? ai tou toda doida?. Aiiiii que lingua. ? Eu tambem já não aguentava mais ? Vou tirar vou-me vir, que cu bom não me canso de foder este cu, vou-me virrrrr?.- nisto tirei o meu caralho do cu da velha e mandei-las as duas virar para mim de frente para as poder esporrar as duas, ficaram de boca aberta e receberam cada uma o que tinham direito, o meu leite espalhei pela boca delas e pela cara, nossa foi o orgasmo da minha vida, não sei onde tinha tanta porra. As duas á vez chuparam o meu pau, deixando ele bem mole e bem limpinho.

Sentei-me entre as duas abraçamo-nos e fomos dormir os tres na nossa cama eu no meio delas e as duas bem com as maos agarradas no meu pau.

Mais historias destas há espero que gostem e me peçam mais



Sergio M.

Gostou? Vote no Conto:

163083 visitas

 

Contos Eróticos Relacionados

 
 
PUBLICIDADEamadoras porno ninfetas